Plataformas de colaboração crescem dois dígitos na pandemia

“O foco das organizações esteve voltado para ferramentas que geram maior eficiência operacional e equilibram o físico com o digital”, aponta a consultoria IDC. Cloud se transformou em um habilitador das mudanças.

Com a maior demanda por soluções digitais como resposta às dificuldades trazidas pela pandemia de Covid-19, provedores de software no Brasil tiveram alta de 30% nas receitas em 2020, que alcançaram US$ 8,15 bilhões, ou cerca de R$ 42 bilhões. Os números são da consultoria IDC Brasil, a partir de dados que incluem, entre outras, as vendas de software para infraestrutura de TI, gerenciamento de dados, endpoint, rede, CRM, ERM, SCM, ferramentas colaborativas e de inteligência artificial.

A consultoria destaca o desempenho da computação em nuvem. “Cloud passou a ser tratado como um habilitador, como um acelerador para as iniciativas de modernização e digitalização. A receita do mercado de cloud pública em 2020 foi de US$ 3,02 bilhões, [cerca de R$ 15 bilhões], incluindo IaaS, PaaS e SaaS.”

Plataformas de colaboração também foram alvo de investimentos, e o próprio ERP, que apesar de já ser uma plataforma consolidada, cresceu acima de 25% em 2020. “O foco das organizações esteve voltado para ferramentas que geram maior eficiência operacional e equilibram o físico com o digital”, aponta a consultoria IDC.

Segundo a IDC Brasil, em 2021 o crescimento do mercado de software no país não será tão acelerado com no ano passado, quando as organizações correram para resolver gargalos e atender a demanda, mas deve ser significativo e ficar no patamar dos dois dígitos.