Dexco, ex-Duratex, inicia ciclo de inovação com SAPiens

Em julho de 2021, a Duratex apresentou ao mercado seu novo nome: Dexco. Com 70 anos de história, a empresa, detentora das marcas Deca, Portinari, Hydra, Duratex, Ceusa e Durafloor, inaugura um novo ciclo de crescimento, com investimentos de cerca de R$ 2,5 bilhões nos próximos três anos. A empresa se revestiu de inovação. 

Um dos pilares dessa renovação é a transformação digital. Em 2020, com o apoio da alta direção, a Dexco iniciou o desenvolvimento do ecossistema SAPiens,  transformando o SAP S/4 HANA no coração do projeto. Raul Moreira, diretor do Programa SAPiens na Dexco, faz questão de ressaltar que não se trata de uma adequação ou migração para o SAP S/4 HANA. “Estamos reimplementando no SAP”, diz.

Acreditar na inovação faz parte do dia a dia da Dexco para se posicionar na vanguarda em tecnologia. “Buscamos, de forma consistente, a inovação. Isso é muito bacana porque se reflete na jornada do SAPiens. Nossa liderança apoia essa estratégia com esse mesmo espírito inovador, de estarmos preparados para o futuro, consistente na nossa estratégia e no nosso propósito, que é oferecer soluções para o melhor viver”, afirma Moreira.

De acordo com diretor do programa SAPiens na Dexco, a empresa, que usava o SAP ECC, buscou mais flexibilidade, integrações e interfaces mais inteligentes, como o SAP Cloud Platform – atual SAP Business Technology Platform – proporciona. Moreira observa que a empresa utilizava um ERP ainda muito customizado, complexo do ponto de vista de integração e manutenção.

“Com total apoio da liderança da empresa, decidimos inverter a equação e definimos uma premissa: ter zero customizing. Sabemos que é muito difícil, mas queríamos inverter a equação e reinmplementar nosso sistema, baseado nas melhores práticas, fundamentado na nossa estratégia de arquitetura de TI com um modelo muito padronizado. Esse foi o movimento que iniciamos em 2020 com a primeira onda de implementação”, explica Moreira. 

Padronização e flexibilidade

Outra observação enfática do diretor da Dexco sobre o projeto SAPiens está relacionada à padronização. Ele explica que o modelo é padronizado, mas extremamente flexível e capaz de integrar as soluções que possam atender da melhor maneira possível as demandas do negócio.

Com o SAP S/4 HANA representando o coração do ecossistema, como Moreira gosta de dizer, a Dexco está indo além, explorando outras soluções da SAP. Para a governança de dados, o eleito foi o SAP Master Data Governance (MDG); para a gestão e movimentação de depósitos, a Dexco adotou o SAP Extended Warehouse Management; o SAP Ariba entrou em campo para gerir suprimentos; já o SAP Concur gerencia as viagens dos colaboradores da empresa.

Moreira conta que a Dexco está fazendo reimplementação da folha de pagamentos, usando o SAP SuccessFactors. “Também complementa o ecossistema do SAPiens o SAP Analytics Cloud, que nos traz a gestão de orçamento, toda a parte analítica mesmo”, diz Moreira.

A primeira onda da transformação digital da Dexco começou em janeiro de 2020, e as primeiras implantações foram realizadas a partir de janeiro de 2021 na vertical de revestimentos e cerâmicas, que inclui as marcas Portinari e Ceusa. 

“Enfrentamos um cenário bastante complexo. Estávamos fazendo a integração das empresas, cada uma usando um sistema diferente, e também tomamos a decisão de unificar os CNPJs dessas empresas. Quem já passou por isso sabe a dificuldade desse movimento. E ainda enfrentamos o desafio da Covid-19 durante o processo. Tivermos que nos reinventar”.

Mas o saldo geral, segundo Moreira, é extremamente positivo. “Estamos muito satisfeitos com o resultado. A gestão do ambiente, a estabilidade, a performance são fantásticas. Recebemos informação constantemente, e o time da SAP sempre está trabalhando de forma preventiva. Desde o início do projeto, em janeiro de 2020, até agora, o oitavo mês em produção, em nenhum momento tivemos qualquer tipo de dificuldade”, garante.