Celonis segue em crescimento e quer atingir receita de US$ 1 bilhão em 2024

Covid-19 impacta, mas não freia a empresa especializada em process mining e automação de processos com Inteligência Artificial.

A alemã Celonis terminou o ano fiscal de 2020 em 31 de maio, mais uma vez com excelentes resultados, duplicando a receita, atingindo mais de US$ 100 milhões. Para 2021, a meta é novamente dobrar a receita, com valor superior a US$ 200 milhões. E seguirá na trilha de crescimento projetando para 2024 ultrapassar US$ 1 bilhão. É o que afirma Luis Ganhão, head global do Centro de Excelência em Engenharia de Soluções da Celonis.

Na avaliação do executivo, uma das razões da trajetória positiva na pandemia é que a proposta da empresa traz valor agregado justo nesse momento conturbado. “Reunimos esforços para que em semanas colocássemos em produção projetos que maximizam a gestão de caixa. Entre inúmeros benefícios, nossos clientes que usam SAP podem melhorar a sua posição de cash discounts (descontos), por exemplo”, relata.

Para o ano fiscal iniciado em junho deste ano, as prioridades da empresa relacionadas à Covid-19 são apoiar clientes em fase de crescimento, ajudando na sua transformação digital, e os que estão retomando a rotina, maximizando toda a gestão de tesouraria. 

Na avaliação de Ganhão, a SAP, que define como parceira ‘número um’, tem capacidade de apoiar os seus clientes e parceiros em diversas áreas de negócios. “Não só em relação aos clientes em que estamos realizando projetos conjuntos, mas também pela sintonia entre as duas tecnologias, que permite a cada uma delas alavancar melhor as suas capacidades devido à presença da outra.”

A Celonis tem como prioridade alavancar a parceria com a SAP. Para isso, criou fóruns de melhores práticas para garantir que os clientes potencializem o valor agregado das soluções em conjunto.

Tendências

Diante da necessidade do mercado corporativo de TI de mais agilidade e capacidade de acelerar a transformação digital, Ganhão acredita em movimentações com foco em otimização de custos em indústrias que têm sofrido com a recente pandemia, como companhias aéreas e turismo; investimento em experiência de usuário (para colaboradores, parceiros e clientes); automação de processos; melhorias nos processos para tornar ágeis as organizações; e alta capacidade de reinvenção das empresas, que precisam estar mais próximas dos seus clientes de forma digital, como a área de varejo.

“A Celonis segue com o ciclo virtuoso de: know (saber como os processos são executados com todas as suas variantes de forma real e não teórica); sense (medir KPIs de negócio e por meio de machine learning, detectando onde existe fricção e quais as suas causas raiz); e act (atuar de forma inteligente sobre cada execução do processo de negócio).”

Ganhão entende que qualquer solução para agilizar as exigências do momento atual são bem-vindas, especialmente as que potencializam a produtividade de trabalho remoto e as que simplificam a interação digital entre clientes e fornecedores. E ainda as que removam fricção dos processos de negócio, atuando em causas raiz específicas.

“A Celonis tem capacidade de dar contexto e de automatizar de forma inteligente cada execução dos principais processos de negócio de qualquer indústria”, afirma. “Acredito que a SAP é chave para apoiar clientes mundialmente a gerirem a transformação digital que vamos observar nesta década”, acrescenta.

Para finalizar, o executivo menciona uma piada que está circulando nos bastidores do mercado: Quem decidiu a transformação digital na sua empresa? A) CEO, B) CIO, C) COVID. “Penso que tem algo de verdade por detrás dessa questão, não?”, brinca.