SAP Brasil sedia encontro da Rede Brasil Pacto Global 2020

Iniciativa mostrou ao ecossistema que é preciso fazer acontecer para cumprir a Agenda 2030 da ONU. No Brasil, a SAP criou metas internas onde 93% dos funcionários têm de ter uma ação pessoal relacionada à sustentabilidade.

A SAP Brasil sediou nesta quarta-feira, 05/02, o primeiro evento da Rede Global no Brasil para mostrar os objetivos do Pacto Global das Nações Unidas em prol de construir um mundo melhor. O evento reuniu o ecossistema da SAP – colaboradores, executivos, parceiros e clientes – e mostrou que é preciso agir para que se possa cumprir as metas traçadas para se ter um mundo melhor em 2030.

“Precisamos fazer. Faltam 10 anos. A agenda 2030 foi lançada em 2015. Nosso objetivo é nos tornarmos a plataforma das plataformas para interação das empresas. Um estudo do banco mundial mostrou que, até 2050, se nada for feito, haverá 350 milhões de refugiados climáticos no mundo com forte impacto na economia mundial”, pontuou Carlo Pereira, secretário Executivo da Rede Brasil do Pacto Global e Membro do Board Global.

Uma das ações prioritárias da Rede Global foi escolhida também pela SAP como estratégica – a limpeza dos oceanos, batizada de Plastics Cloud. No Brasil, ações para reduzir o uso de plástico já acontecem. Na sede, em São Paulo, foi zerado o uso de descartáveis entre os funcionários. Outra ação é traçar como meta interna que 93% dos funcionários têm de ter uma ação pessoal relacionada à sustentabilidade.

“Mais do que aderir ao Pacto Global da ONU, como fizemos no Fórum Econômico de Davos, queremos mostrar que estamos trabalhando fortemente para que se tenha um mundo mais sustentável. A SAP Brasil está muito engajada nessa missão e sediar esse evento e abrir ao nosso ecossistema é mostrar a relevância do tema”, destaca Idilia Seixas Duarte, líder regional do SAP Next-Gen para América Latina.

A coordenadora da Rede Brasil do Pacto Global 2020, Ana Carolina Paci, lembra que a sustentabilidade movimenta US$ 12 trilhões em oportunidades de negócios até 2030 e tem a capacidade de gerar 380 milhões de novos postos de trabalho na próxima década. “O desenvolvimento sustentável mexe com a economia e temos de estar prontos”, colocou.

Com relação à estratégia para salvar os oceanos, em março, lembrou Ana Carolina Paci, acontecerá uma reunião nacional para tirar uma posição nacional para ser apresentada e defendida na Conferência Mundial de Oceanos, que acontecerá, em junho, em Lisboa.

A adesão de empresas à Rede Brasil do Pacto Global pode ser feita pela Internet e levará de duas a quatro semanas para ser avaliada. Um dos objetivos para 2020 é atrair a participação das pequenas e médias empresas. “Só há sustentabilidade real quando todo o ecossistema se alinha”, completou Carlo Pereira, secretário Executivo da Rede Brasil do Pacto Global e Membro do Board Global.

O Pacto Global das Nações Unidas é uma convocação para que as empresas de todo o mundo alinhem suas operações e estratégias a dez princípios universais nas áreas de direitos humanos, trabalho, meio ambiente e anticorrupção.

Lançado em 2000, o Pacto Global orienta e apoia a comunidade empresarial global no avanço das metas e valores da ONU por meio de práticas corporativas responsáveis. Com mais de 9.500 empresas e 3.000 organizações não-empresariais, distribuídas em 70 redes locais, que abrangem 160 países, é a maior iniciativa de sustentabilidade corporativa do mundo. Para mais informações sobre a Rede Brasil, acesse: www.pactoglobal.org.br

Share: