Airbnb quer fazer curadoria do estilo de vida de seus hóspedes para melhorar suas experiências

Para a empresa, que já surgiu na economia colaborativa, a tecnologia deve servir também para entender melhor os consumidores e oferecer serviços em que eles nem tinham pensado.

Os debates do SAP NOW 2019 giraram em torno da experiência do usuário, da importância de as empresas compreenderem os sentimentos dos clientes e das estratégias para tirar proveito desse conhecimento em favor do negócio. O Airbnb, que surgiu na era da economia colaborativa, é um dos exemplos de que, quanto mais se entende o usuário, melhores serão os serviços. É esse caminho que a empresa planeja seguir para tornar-se curadora do estilo de vida de seus clientes.

Chip Conley, consultor Estratégico de Hospitalidade da Airbnb, reconhece que, sem tecnologia, a empresa jamais seria o que é hoje em nível global. Mas ele destacou que é preciso pensar nela como uma capacidade de compreender sentimentos. “Tecnologia é parte muito importante do negócio, mas precisa ser intuitiva e usada como uma forma de entender melhor os consumidores, de entender preferências e de entregar opções para os hóspedes não apenas pensando no local que visitarão, mas também nas experiências que querem ter”, afirmou.

A empresa utiliza inteligência artificial e machine learning para ganhar eficiência, mas tão importante quanto, de acordo com Conley, é criar um relacionamento mais pessoal com seus hóspedes e anfitriões. “Com o tempo, saberemos melhor o que uma pessoa quer e conseguiremos entregar coisas que ela nem mesmo tenha solicitado”, disse. “Assim, nos tornaremos um curador de estilo de vida. Poderemos fazer a curadoria daquilo que um hóspede pode querer ver, visitar e até pessoas que ele gostaria de conhecer no local que visitar”, revelou.

Conley ainda falou sobre o quanto o Brasil está à frente quando o assunto é singularidade e inteligência artificial, e como o País construiu, a partir dos recentes eventos esportivos no Rio de Janeiro, uma grande parceria com a Airbnb. Confira a íntegra da entrevista.